Atualização das diretrizes de BLS da AHA: veja o que muda

Tempo de leitura: 2 minutos

Anualmente em novembro ocorre o congresso da International Liaison Committee on Resuscitation (ILCOR), na Califórnia. Tradicionalmente, a cada cinco anos a AHA e a ILCOR atualizam as diretrizes do ACLS e do BLS. Contudo, desde 2015, as instituições optaram por fazer também atualizações anuais caso haja novidades significativas a serem implementadas prontamente. Este mês a atualização foi no BLS, com duas grandes áreas de recomendação:

Reanimação cardiopulmonar por leigos:

O atendente (do 192) deve orientar os socorristas leigos (pessoas que estão na cena para ajudar, mas não têm treinamento oficial) a exercerem apenas compressões torácicas contínuas (massagem cardíaca). Porém, aqueles que desejarem realizar ventilação (boca-a-boca) não devem ser proibidos de fazê-lo. Do mesmo modo, as pessoas devem ser incentivadas a realizar a massagem cardíaca mesmo que não haja disponibilidade de orientação por telefone.

Reanimação cardiopulmonar pré-hospitalar por socorrista treinado (BLS):

Aqui está a grande novidade! Os socorristas oficiais agora têm duas opções para alternar compressão/massagem e ventilação, podendo escolher qual estratégia preferem:

  1. Massagem cardíaca contínua com ventilação (bolsa-máscara ou boca-máscara) a cada 6 segundos (cerca 10 incursões por minuto), sem interromper as compressões, mesmo que não haja via aérea avançada.
  2. Alternar 30 compressões com 2 ventilações quando não houver via aérea avançada, como era recomendado previamente.

Essas recomendações se aplicam à parada cardíaca sem trauma e sem asfixia. A ideia central é aumentar a fração de compressão torácica, isto é, o percentual do tempo total de atendimento em que é realizada massagem cardíaca eficaz. A maior parte das paradas extra-hospitalares ocorrem por FV/TV secundária à doença coronariana.

O que NÃO mudou:

É permitido em PCR extra-hospitalar de causa não respiratória a execução apenas de massagem cardíaca contínua, sem ventilações, até o suporte avançado chegar.

Se houver via aérea avançada no extra-hospitalar, manter massagem cardíaca contínua por 2 minutos, com ventilações a cada 6 segundos sem interromper as compressões.

No intra-hospitalar, permanece a recomendação de:

  1. SEM via aérea avançada: alternar 30 compressões com 2 ventilações.
  2. COM via aérea avançada: massagem cardíaca contínua por 2 minutos, com ventilações a cada 6 segundos sem interromper as compressões.

    Fonte: 
    https://pebmed.com.br/atualizacao-das-diretrizes-de-bls-da-aha-veja-o-que-muda/amp/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *